Ministra reforça necessidade de compromisso com a investigação científica

A ministra do Ensino Superior Ciência Tecnologia e Inovação, Maria do Rosário Bragança, destacou esta segunda-feira, no Lubango, o compromisso do Instituto Superior de Ciências da Educação (ISCED-Huíla), na investigação científica de assuntos que preocupam as comunidades, para o melhor entendimento do contexto social e académico.

Maria do Rosário Bragança que falava à margem de uma visita de constatação às instituições do ensino superior públicas e privadas da província da Huíla, realçou que a investigação científica é, e deve continuar a ser, um acto inerente ao Ensino Superior, pois a realização de estudos a esse nível proporciona aos cidadãos descobertas de avanços nas mais diferentes áreas do saber.

Sublinhou que o ISCED-Huíla é uma das instituições do ensino superior pedagógico mais antigas e tem apostado na investigação, através dos Centros de Investigação e Desenvolvimento da Educação (CIDE), do Centro de Estudos da Biodiversidade e Educação Ambiental (CEBEA) e Laboratórios de Química.

Para a ministra, nota-se na instituição uma “boa dinâmica e um bom empenho em relação à investigação científica, apesar das dificuldades,” desde o mau estado das infra-estruturas, a carência de docentes, o ISCED-Huíla tem feito um bom trabalho que tem contribuído para o desenvolvimento da província em particular e do país em geral.

Dado ao seu elevado estado de degradação, disse a responsável, o ISCED-Huíla vai, em 2024, beneficiar de 20 milhões de dólares de um financiamento do Banco Mundial para fazer a reabilitação e ampliação da sua infra-estrutura.

Por outro lado, Maria do Rosário Bragança pediu às instituições a racionalizarem a distribuição das mais de 900 vagas atribuídas ao sector, para o concurso público de admissão de novos docentes e investigadores em 2024.

Sem avançar o número de vagas a que cada uma das instituições terá direito, a ministra pediu que a distribuição seja feita com foco no preenchimento de uma ou duas áreas específicas, de modo a obter melhores resultados na qualidade formativa do que se fizer a dispersão.

No ISCED-Huíla a investigação científica é realizada por sete investigadores, mas por inerência de funções os docentes também são investigadores, através dos CIDE, CEBEA e do Laboratório de Química.

Conta com a publicação de vários relatórios, como a Carta Escolar, Crianças fora da Escola ou em Risco de Abandono Escolar, Projecto de Nutrição, Projecto sobre a Seca, Acesso à Base de Dados, entre outros estudos.

O ISCED-Huíla existe desde 1980 como uma das unidades orgânicas fundamentais da Universidade Agostinho Neto e foi reorganizada em 2009 pelo Decreto nº 7/09 de 12 de Maio, com o redimensionamento da UAN, passando a ser uma Instituição de Ensino Superior Autónoma e de âmbito Provincial.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...