Ministra pede maior preservação da natureza para as novas gerações

Angola comemora, hoje, passados 47 anos, o Dia Nacional do Ambiente, num período em que, ainda muito precisa ser feito quanto à preservação da natureza. Por ocasião da data, a ministra do Ambiente pediu a todos os angolanos para que continuem a preservar a natureza e deixar um legado melhor para as gerações vindouras.

“Não temos preservado da melhor maneira o meio ambiente. Temos estado a retroceder, por isso, é tempo de parar e pensar mais na preservação da fauna, flora, reflorestamento e tratamento dos resíduos, de forma consciente, para termos um país melhor”, disse Ana Paula de Carvalho.

A ministra acrescentou que o estado do ambiente no país ainda não é o desejado. “É preciso passar mais para a acção. Temos muitos diplomas, leis e legislações, mas o que realmente precisamos é melhorar e reaproveitar mais a natureza”, destacou.

A questão dos resíduos, adiantou, ainda é um problema, em especial na capital do país, que, às vezes, vive episódios tristes quanto a este tema, particularmente aquando das chuvas. “O próprio cidadão também tem de colaborar mais e deixar de colocar lixo nas valas e esgotos, dificultando assim a drenagem das águas”.

O Ministério do Ambiente, disse, tem um programa de consciencialização ambiental, que visa educar os cidadãos sobre as melhores práticas para o tratamento da natureza, assim como dos resíduos. “A educação ambiental deve ser feita também em casa, para que amanhã tenhamos crianças mais sensibilizadas quanto ao lixo. É, também, uma forma de evitar o surgimento de muitas doenças”.

Um melhor aproveitamento do meio ambiente, defendeu, pode ser favorável ao desenvolvimento de alguns sectores do país, em especial o do turismo. “Devemos tratar bem as florestas, os parques nacionais com infra-estruturas de qualidade, capazes de atrair mais turistas e com isso mais receitas para o país, assim como empregos”, destacou.

Uma data de alerta para todos

A efeméride, de âmbito nacional, foi instituída com base na realização da Semana de Conservação da Natureza, realizada em Luanda, em 1976, com objectivo principal de reforçar os alertas aos diferentes sectores para a necessidade de se adoptarem padrões de vida sustentáveis, que promovam uma gestão equilibrada dos recursos naturais. Estiveram presentes nesse encontro delegações provenientes de Moçambique, Guiné Bissau, São Tomé e Príncipe e Cabo Verde.

O dia serve para reflectirmos sobre a relação com a natureza, uma vez que um dos maiores desafios da humanidade é a manutenção desta e a possibilidade de crescimento sem comprometer de formas irreversíveis e significativas os recursos naturais, cada vez mais escassos e limitados.

Para muitos especialistas, a questão ambiental é muito mais complexa do que se imagina. No meio ambiente estão inseridas e interligadas questões sociais e económicas. Alguns defendem que o respeito pelo meio ambiente é um dever de todos, e é a única forma de conseguirmos os avanços que tanto desejamos na economia, sociedade e famílias.

O marco lógico da data é mostrar, também, o lado humano das questões ambientais, capacitar as pessoas para serem agentes activos do desenvolvimento sustentável, promover a compreensão de todos sobre a necessidade da mudança de atitudes em relação ao uso dos recursos e das questões ambientais e firmar parcerias para garantir que as próximas gerações desfrutem de um futuro mais seguro e mais próspero.

História

Foi no dia 31 de Janeiro de 1976 que terminou a primeira “Semana de Conservação da Natureza”. Com a realização deste encontro, ficou assim determinada a celebração do “31 de Janeiro”, como Dia Nacional do Ambiente, em Angola. Hoje, 31 de Janeiro, o ministério de tutela e parceiros, encorajam as pessoas a pensarem no ambiente de uma maneira mais abrangente. Neste quando, ainda há necessidades de se melhorar a qualidade do ambiente, um factor que promove ou melhor influencia na vida sadia das populações.

Com efeito, campanhas de plantação de árvores, limpezas dos principais focos de resíduos e palestras de sensibilização da sociedade para um ambiente mais puro têm como objectivo assinalar acções positivas de protecção e preservação do ambiente e alertar as populações e os governos para a necessidade de salvar o ambiente.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...