FMI disponibiliza 120 milhões de dólares para apoiar agenda de crescimento do Uganda

O Uganda deverá receber um novo empréstimo do Fundo Monetário Internacional (FMI). De acordo com a The East Africa, citada pela Business Insider Africa, o credor global aprovou, recentemente, um empréstimo de 120 milhões de dólares àquele país da África Oriental, após aprovação do conselho do FMI.

Este desembolso marca a quarta vez que o Uganda recebe um empréstimo do FMI ao abrigo do programa Multilateral Lender’s Extended Credit Facility (ECF), que começou em 2021. Até agora, o montante total arrecadado pelo Uganda, ao abrigo do programa, é de 870 milhões de dólares.

Segundo o FMI, estes empréstimos não só ajudaram o país a conter os efeitos da inflação, mas também a recuperar do choque económico provocado pela pandemia do coronavírus.

“A recuperação do Uganda está a tornar-se mais ampla, apoiada pela queda da inflação e pelos investimentos na indústria petrolífera”, afirmou Bo Li, director-geral adjunto do FMI, através de um comunicado citado pela Business Insider Africa.

Além disso, acrescentou que as reformas ao abrigo do empréstimo ECF ajudariam a “apoiar a consolidação fiscal para manter o rácio da dívida pública numa trajectória descendente, garantir despesas sociais e de desenvolvimento sustentável, bem como implementar reformas estruturais para melhorar a governação e facilitar o crescimento liderado pelo sector privado”.

Segundo o relatório da The East African, a União Europeia também ‘largou’ 218,5 milhões de euros (237,1 milhões de dólares) para oito novos projectos que irão promover negócios de mulheres, projectos renováveis, negócios e direitos humanos, e cadeias de valor agrícolas no Uganda.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...