Presidente da Assembleia Nacional, Carolina Cerqueira, destaca novos alicerces fortes na parceria paritária OEACP-EU

No discurso da Cerimónia de Abertura da 1ª Sessão Plenária Parlamentar Paritária OEACP-UE, no âmbito do novo Acordo de Samoa, hoje realizado em Luanda, a Presidente da Assembleia Nacional de Angola, Carolina Cerqueira, enfatizou o facto de os Estados de África, Caraíbas e Pacífico e União Europeia (OEACP-UE) terem feito história ao lançar os novos alicerces na parceria paritária, assente numa estrutura institucional a favor dos povos.

Segue o discurso na íntegra 

Excelência Senhora Vice-Presidente da República de Angola, Dra. Esperança Maria Eduardo Francisco da Costa;

Excelências co-Presidentes da Assembleia Parlamentar Paritária da Organização dos Estados de África, Caraíbas e Pacífico e União Europeia;

Excelentíssimos Senhores Chefes das Delegações;

Excelentíssimos Senhores Deputados;

Distintas autoridades dos poderes públicos do estado angolano;

Excelentíssimos co-Secretários-Gerais da Assembleia Parlamentar Paritária;

Excelentíssimos membros do Corpo Diplomático;

Estimados convidados;

Minhas senhoras e meus senhores,

Sua Excelência Vice-Presidente da República de Angola, Dra. Esperança Maria
Eduardo Francisco da Costa, é com elevada satisfação que lhe desejamos as
boas-vindas a esta magna casa das leis.
Hoje, pela primeira vez a Guarda de Honra da Polícia de Protecção Parlamentar que recebeu os ilustres convidados a esta magna reunião é constituída, exclusivamente, por mulheres, o que representa a presença feminina em todos os domínios da vida do nosso país.

É uma grande honra e privilégio para a Assembleia Nacional acolher em nome do exímio povo soberano da República de Angola a 64ª Sessão da Assembleia Parlamentar da Organização dos Estados de África, Caraíbas e Pacífico e sessões constitutivas da Assembleia Parlamentar Paritária que inicia um novo ciclo desta
organização após a assinatura do acordo de Samoa.

É, pois, uma subida honra para esta magna casa das leis, 15 (quinze) anos depois de Luanda ter albergado uma sessão paritária, acolher calorosa e fraternalmente os delegados e participantes provenientes de todos os continentes que elevaram ao mais alto patamar a diplomacia parlamentar dos
países que representam.

Sob o lema “Um novo impulso às relações entre a União Europeia e os países de África, Caraíbas e Pacífico e a União Europeia, uma parceria liderada pelos povos”, os 416 delegados que estiveram reunidos neste hemiciclo de 17 a 21 do corrente mês souberam interpretar a vontade dos povos que representam através do compromisso global de preservação e promoção do valor inegociável da paz e da tolerância, caminho fundamental para a equidade a justiça social, a boa governação e o desenvolvimento social e humano para todos.

Com esta visão, urge estabelecer pontes, caminhos e mecanismos para fortalecer a parceria entre os povos por uma nova dinâmica das relações paritárias, um enquadramento mais inclusivo e ampla articulação dos nossos propósitos num padrão que valoriza a dignidade da pessoa humana e assente numa visão holística conjunta para fazer frente aos complexos desafios impostos pela actual conjuntura geopolítica mundial em que a voz dos parlamentares mais do que nunca deve afirmar-se como arauto da paz, da tolerância, da concórdia, e do diálogo numa perspectiva comum, apesar da diversidade de cada uma das
realidades dos nossos países.

O espírito e propósito da parceria futura entre a organização dos estados de África, Caraíbas e Pacífico e a União Europeia agora relançada pelo acordo de Samoa, encerra em si o ideal de relações entre os povos para o fortalecimento da democracia e o respeito pelos direitos humanos.

A complexidade dos temas políticos mundiais, a crise financeira e os seus efeitos nas economias nacionais, as alterações climáticas, crise energética, segurança alimentar e nutricional, igualdade do género, empoderamento dos jovens, combate à pobreza, inclusão social, combate à corrupção e tráfico de seres humanos e recursos naturais são temas que têm ocupado as nossas agendas e que constituem uma esperança para melhoria da vida das populações.

Orgulhamo-nos do forte potencial humano da nossa organização alicerçado pela vitalidade dos jovens, o dinamismo das mulheres, as expectativas dos cidadãos de mais de 70 países de África, Caraíbas e Pacífico, 27 países da União Europeia, quatro continentes e de 2 bilhões de pessoas que esperam de nós iniciativas que possam contribuir através de usos de recursos humanos, naturais e tecnológicos altamente avançados, promover o desenvolvimento duradoiro dos nossos países, bem como a criação de uma cadeia de valores ao nível das nossas economias, que permitam a modernização dos países menos avançados.

Estas e outras razões motivaram a preparação deste evento em resposta a uma solicitação da Assembleia Parlamentar Paritária a Sua Excelência Presidente da República de Angola, João Manuel Gonçalves Lourenço, para que fossem criadas as condições humanas e materiais necessárias para a realização deste evento
no nosso País.

O orgulho é nosso de termos reunido e interpretado os ideias de todos e de cada um de nós e o mérito é dos delegados, provenientes de todo o mundo que
tornaram possível este magno evento apesar da diversidade cultural e geográfica que nos separa, mas nos une nos propósitos.

Estou convicta que fizemos história e lançamos novos alicerces na parceria paritária assente numa nova estrutura institucional, mas que mantém o mesmo foco, a mesma coesão e a mesma determinação de fazer com resiliência cada vez mais e melhor a favor dos nossos povos.

Com estas palavras expressamos os votos de saúde e paz, e de muita prosperidade para todos e que os trabalhos desta 1.ª Sessão da AssembleiaParlamentar Paritária da Organização dos Estados de África, Caraíbas e Pacífico e União Europeia, pós Samoa, tenha Angola no coração.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...