Angola e Banco Mundial preparam projecto para a criação de empregos

O Governo de Angola e o Banco Mundial estão a preparar o Projecto de Aceleração a Diversificação Económica e Criação de Emprego.

O Projecto tem como objectivo promover a diversificação económica, sustentável e geograficamente equilibrada, impulsionada pelo sector privado, através do desenvolvimento de corredores económicos, cuja implementação está para este ano e tem o seu fim previsto para 2029.

Para o efeito, foi realizado o primeiro Fórum de Auscultação e Consulta Pública ao Projecto de Aceleração da Diversificação Económica e Criação de Emprego, que servirá de mola impulsionadora para a aprovação do projecto junto do Banco Mundial.

O evento aconteceu terça-feira, no salão nobre do Ministério da Economia e Planeamento, e foi presidido pelo director nacional para o Ambiente de Negócios, Laércio Cândido, em representação do secretário de Estado para o Planeamento.

Segundo Laércio Cândido, esta actividade insere-se nos trabalhos preliminares de consultas públicas para a avaliação dos possíveis impactos sociais, económicos e ambientais do referido projecto, que tem 4 componentes: o reforço do ambiente regulamentar e institucional para o investimento privado e o comércio; o investimento catalítico para desenvolver cadeias de valor, que irá apostar na melhoria das infra-estruturas produtivas, como plataformas logísticas ou polos industriais em locais específicos do Corredor Económico do Lobito; o reforço das capacidades, com foco nas micro, pequenas e médias empresas, e especialmente aquelas detidas por mulheres, para apoiar o crescimento produtivo, o acesso ao mercado e ao financiamento; e o fornecimento de apoio técnico e financeiro para a implementação do projecto e a medição dos resultados.

“Embora a economia angolana ainda esteja muito dependente dos recursos naturais não renováveis, como o petróleo, diamantes e gás natural, este projecto abre uma soberana oportunidade para impulsionarmos os sectores da agroindústria, comércio e transportes não menos relevantes, com uma visão para alcançarmos níveis de exportação para os países vizinhos da Zâmbia e República Democrática do Congo, aproveitando o potencial que oferece o Corredor Económico do Lobito enquanto área de intervenção prioritária para desenvolver as oportunidades de comércio regional e integração de cadeias de valor”, afirmou Laércio Cândido.

Para além de Luanda, estão programadas outras sessões de consulta pública com partes interessadas no projecto, como os departamentos ministeriais sectoriais, empresas públicas, associações empresariais, cooperativas, bem como outras entidades e organizações da sociedade civil nas províncias de Luanda, Benguela, Moxico, Huambo e Bié.

Notícias relacionadas
Comentários
Loading...